Noite

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

Há uma sombra que se arrasta
num eco de solidão,
numa saudade afogada.

Não há o sono, nem o sonho.

Só a angústia demorada,
o medo grande do escuro,
o vazio, o calafrio
e uma lágrima calada.


                Há noites longas demais!

                E eu nem sei o que dói mais... 
                Se é o silêncio... Ou o nada...


Helena Chiarello



4 comentários:

gaivotadourada22 disse...

Noite...um Poema que traz pela mão a saudade...que na Poesia grita com medo grande do escuro, sente o calafrio e num vazio, cala uma lágrima... Noites assim, se fazem mesmo longas demais! ...é o nada, é o silêncio a doer... doem sim por igual! Maravilhosamente lindo este Poema, uma Poesia que mergulhando numa saudade, descreve noites insones... Para a Poetisa? Mais uma medalha de ouro! Nossa, adorei!Beijos

Chica disse...

Lindíssimo,Helena.Acho que talvez o silêncio doa mais...O nada pode ser preenchido e o silêncio quando se instala na noit]e, é difícil...um beijo,ótima semana,chica

Babes disse...

Junto-me a Ti nessa dúvida...
"E eu nem sei o que dói mais...
Se é o silêncio... Ou o nada...!

Também eu conheço noites longas demais!!


Um beijo barulhento, para quebrar o silencio.

Ellen Veloso Soares disse...

O silêncio me é necessário. Ele não me dói, mas me conforta! A ausência da fala esperada é que torna-se incômoda em muitos momentos!