Transparências...

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

Se conseguisses ver além do meu corpo,
admirarias os contornos perfeitos
de toda a emoção que sou capaz de ter...
Contemplarias o meu coração inquieto,
tocarias do meu pensamento a pele
e estremecerias ao seu viço e cor...
Amarias o tom da voz de tudo o que penso
e te encantarias com o sorriso estampado
à face de tudo o que eu realmente sou...
Perceberias que minhas ideias
crescem em longos e claros fios
e que o brilho do meu olhar à vida
é imensamente mais intenso
do que esse que meus olhos têm...
Conhecerias o que me acende o afeto,
o que me move os sonhos,

o que me inspira as mãos...

...Então verias que a nudez maior,
mais atraente e mais bonita,
é a da minha alma, quando pensa em ti...



Helena Chiarello




7 comentários:

Raquel Oliveira disse...

Esse seria o mundo ideal e mais puro dos mundos.
Acho que assim daríamos mais valor ao amor sabia? POis veriamos o que é verdadeiro sem as "mentiras".
Ahhhhh como seria bom tudo isso!!! Acho que o acreditar sempre seria o SIM e nunca o NÃO!
E tudo seria lido nos olhos nossa "janela da personalidade", pois ali é o único canal para lermos o segredo da alma.

Bem sem mais desabafos....
Tá vendo? Olha ai você me completando. Falou tudo o que eu precisava ouvir hoje.

Chica disse...

Maravilhoso,Helena! Poder ver atrávés das transparências e ver tua alma linda!um beijo,chica

Larissa disse...

Olha eu aqui também. Porra! Que coisa linda esse poema. 'Amarias o tom da voz de tudo o que penso'. FODA, com o perdão do adjetivo (sim, tome isso como um adjetivo). Hahahaha

Beijo

meus instantes e momentos disse...

Intenso, bonito, bem escrito.
É um prazer, voltar sempre aqui.
Maurizio

Oreste disse...

???????

Cris Sousil disse...

Tua poesía me relaxa como uma sessáo de massagem... talvez seja isso... ima massagem à mente e ao espírito. Nem sempre comento, mas sempre te leio e... me faz táo bem.

Isabel José António disse...

Querida Amiga Helena,

Muitos parabéns por essa poesia tão inspirada, inspiradora e verdadeira.


Se me conseguisses sentir
Num só vislumbre do olhar
Estarias prestes a intuir
Toda a eternidade a ficar

E toda a essência do SER
E toda a força da intenção
Seriam focadas para se VER
O universo na palma da mão

Um grande abraço

José António