Confidências

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

Não fosse tudo tão longe
andaria a próprios passos
e transporia distâncias
como se assim desfizesse
as linhas imaginárias
que dividem convivências.

Não fosse tudo tão tempo
correria pelo sonho
saltitanto impaciências
(nem aí às aparências)
levando na boca um riso
e nas mãos, adolescências.

                         
Carregaria nos braços
                         
ternuras e confidências
                         
(de sonho, tempo e distância)
                          
e mais a vontade incrível
                         
de desfazer discordâncias
                         
e inventar coincidências...



Helena Chiarello

6 comentários:

Chica disse...

Sobretudo, inventar coincidências...Lindo!beijos,chica

Gaivotadourada22 disse...

Confidências... Deixe-me confidenciar que é MAGNIFÍCO este Poema!!! Aplausos de sempre minha Amigaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!! v!v!v! Beijos Lê!

Cleoni disse...

Maravilhosamente confidenciallll!Perfeição nesse poema!
Sempre fico boba de ler você!
Beijusss!

HEITOR disse...

Desfazer discordâncias e inventar coincidências talvez seja tarefa muito mais fácil do que se imagina.
Basta o coração assim desejar.
Fantástico, Helena!
Abraço,
HVillaS.

Ellen Veloso Soares disse...

Fantástico!

Anderson Fabiano disse...

... nao sei, mas, e possivel que alguem ja tenha dito que distancias foram feitas para serem vencidas pelos poetas, amantes e outros raros.
entao, pras confidencias, reservo-lhe a atencao, pras discordancias, meu sim e pras coincidencias, a certeza de saber esperar.
te beijo, entao,
barba
ps - a falta de acentos decorre da ausencia do dono dessa beronha rsrs