Maresia

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

Nem mesmo
o olhar
alcançou a tempo
os barcos que partiram.
Pensamentos e palavras,
                                          à deriva.
Eu,
(e apenas eu)
parei no cais.



Helena Chiarello



4 comentários:

Alma tua disse...

Maravilhosa poesia. Você, com certeza, era o barco que deveria parar no cais

sementes diárias disse...

Por coincidência, hoje o pensamento do dia fala do porto e os barcos. No porto eles estão seguros, mas não foram feitos pra isso. Assim, também nós, podemos dar uma paradinha, uma descansadinha no porto,pra "acertos do motor", mas depois, partir é o que precisamos, ir pra vida...Lindo teus versos,Helena! um beijo e um ótimo dia!Chica

gaivotadourada22 disse...

Querida Amiga Poetisa...

...Aqueles que à deriva navegam, sabem que o cais espera... E para quem o cais já é porto seguro, sinalizam para os que navegam sem rumo! Mar(po)esia...Lindo Lê!
Beijos!

Karl disse...

Navegar é preciso... viver não é preciso! (F. Pessoa) ... e amar... tb é preciso... muito... Lindo poema o teu, belíssimo, amei, beijos. Gosto muito de mar, barcos, essas coisas...