Quando, enquanto...

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

Não sei como despes o dia,
nem como afastas o cansaço
e as memórias
de tudo o que foi sem nós,
nem o que te move o respirar
(de todo o tempo)
e de quando noite
e quase sono.

                             Mas sei de mim,
                             de dias e cansaços despidos
                             e de como as memórias
                             de tudo o que foi são poucas.
                             E o que me move o respirar
                             de quando noite
                             (e o tempo todo)
                             é pensar em ti.
                             E sempre sonho.


Helena Chiarello


6 comentários:

Chica disse...

Quando? Enquanto?

AGORA! É hora de mais uma vez dizer que és muito inspirada e escreves muiiiiiiiiito bem!beijos,tudo de bom,chica

ONG ALERTA disse...

Sonhar é poder continuar a viver...

Cleoni disse...

Sempre sonho também, ao ler você!
Lindo demais, Helena!
Muiiitos bjus!
Cleony

HEITOR disse...

Helena,
Permita dizer que estou apaixonado!
As palavras não são apenas palavras. São o casamento perfeito entre talento, sensibilidade e beleza transformados por suas mãos em fascinantes momentos poéticos!
Deixo a você meu grande abraço!
HVillaS.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Helena! Fiquei muito feliz com a tua visita e com as belas palavras deixadas no teu comentário. Espero que voltes mais vezes, pois será sempre um prazer renovado. Aquí, com certeza voltarei mais vezes, pois tens uns espaços muito belos e pretendo aprender mais um pouco.

Adorei o poema. Muito profundo. Parabéns!

Beijos,

Furtado.

ONG ALERTA disse...

Acreditar que vamos ter dias melhores...paz.Obrigada.