Sépia

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

Um rasgo de sol
passeia sobre a fotografia
de uma tarde antiga.
Enquanto muda de lugar,
desenha sombras na memória
e um silêncio desbotado
agarra-se à lembrança
das intensidades
que escapam de agora.
Quase nada de cor
sobra para esse depois
do instantâneo corroído
daquela imagem
enrugada de ontens.

                                                    [Há coisas que se revelam
                                          na fragilidade absurda do tempo.
                                Como a vida, momentaneamente eterna
                                                   mas cada vez mais escassa.
                        E que brincando de desbotar, também passa.]


Helena Chiarello

Um comentário:

✿ chica disse...

Lindíssimo e a vida passa mesmo.Não a podemos deixar desbotar! bjs, chica e tuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom!