Moldura

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

O azul,
de repente,
quadrado na janela.

Céu limitado.


Helena Chiarello


4 comentários:

Raquel Oliveira disse...

lindo.
estou me vendo assim. Limitada!!!
NAda bom.
bjos

sementes diárias disse...

Lindo,Helena!Mas o bom é que sabemos que mesmo limitado na nossa janela, lá fora ele é ilimitado, como nosso pensar e nossa imaginação! um beijo,Chica

Ellen Veloso Soares disse...

Lindo!!

gaivotadourada22 disse...

... ou de repente a janela que está ilimitada no azul! Penso mesmo que emolduraste o poema no céu! Maravilha! Beijos Lê!