Fuga

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal

O fim de tarde me trouxe aqui,

a abrir as janelas desse sempre espanto,
a querer arredar com força
as cortinas dessa demasiada realidade,
com uma vontade absurda
de sentir o sol a arder a cara
e o vento a passar furioso
por entre as ideias e os cabelos.

É quase dor esse sentir-me assim,
com esse ímpeto de me atirar
descuidadamente na paisagem
como se a paz que vem dela
me tivesse, me absorvesse
e me desse o desvario
de andar a esmo pelos lugares
a colher esquecimentos
como quem colhe flores.

É insano alívio essa vontade de sair correndo,
de derrubar pelo caminho
os sonhos e desencantos
que me magoaram tanto os braços!
E mais correr, correr, cansar e cansar!
E depois, deitar no chão,
olhar o céu escurecendo e gargalhar
a falta de ar, de lucidez,
de pensamento e de memória.



Helena Chiarello



7 comentários:

Chica disse...

Deu pra correr e gargalhar junto contigo, sentir tudop...Lindo! beijos e acabei hoje à tatrde de voltar das férias na praia.Tristeza! Deixar um ligar lindo, chegar num forno como Poa...Mas...beijos,chica

Adolfo Payés disse...

Por mi ausencia me disculpo.. ya regreso para poder leerte como de costumbre..

Un abrazo
Saludos fraternos..

Que disfrutes el fin de semana...

Pd:Lo siento por mi ausencia..

Cleoni disse...

Nesta vida temos três professores importantes: o ‘Momento Feliz’, o ‘Momento Triste’ e o ‘Momento Difícil’.

O ‘Momento Feliz’ mostra o que não precisamos mudar.
O ‘Momento Triste’ mostra o que precisamos mudar.
O ‘Momento Difícil’ mostra que somos capazes de superar.

Se o sol apagar, acenda a luz. Se a luz faltar, acenda uma vela. Se não tiver nem a vela, risque um fósforo. rsrs Foi o que me disse uma vez, tah lembrada? e eu nunca esqueci!
Nem vou dizer que a poesia é linda!
E vc veio pra cá e nem apareceu, neh, praguinha? Tem tanta novidade aqui... rsrsrs
Bjusssss ;)

Anderson Fabiano disse...

lê,
a perfeição poética se avizinha de suas letras... cada dia mais. vc é, sem favor algum, uma belíssima poetisa. sei que ainda falta em vc a confiança necessária pra admitir isso, mas, vou ficar por perto, repetindo isso, até o dia em que vc acreditar. ai, e só então, o mundo vai me dar razão.

amo as fugas! sei a recompensa que advem de sua presença. mas, ainda prefiro a busca da razão, nos embates com o enfrentamento. pois, aprendi que melhor a decepção de uma certeza, que os infundados tormentos que habitam as dúvidas.

meu carinho (sempre),
af

ps: vc continua magistral!

Sarah El Khouri disse...

Nossa! Que poema lindo. Descreveu muito do que eu sinto. Agora esta entre meus preferidos.
Ah, estava com saudades de voce. Faz tempo que nao entro no mundo dos blogueiros. Te convido a vizitar meu blog.
Beijos

HEITOR disse...

De que nos valem as fugas, se o coração que nos faz sofrer é o mesmo que nos mantém vivos, se, em qualquer lugar ou condição que possamos estar,
o levamos sempre conosco?
Sempre muito bem feitos, seus versos. Os sentimentos claros e genuínos naquilo que são, sentidos, realmente... Ou perfeitamente "elaborados" pela pena que redige a ponto de nos fazer crer e mergulhar na porção de humanidade e de emoção delicadamente feminina que transborda deles...
Parabéns e um grande beijo, Troiana...

Anne Lieri disse...

Helena,que bela sua poesia!Colher esquecimentos...que maravilhosa frase poética!Ficou lindo de viver esse poema!Obrigada pela referencia ao meu blog por aqui tb!Bjs,