EternAmante

Foto: Helena Chiarello - arquivo pessoal


Espera-me assim, amor meu...
Com a mesma serenidade
da certeza que te busco
e com igual necessidade.
Espera-me com paciência,
mas também com ansiedade;
com a pressa dos amantes
que se faltam e completam,
que percorrem as distâncias
guiados pela acuidade
de quem viveu muitas vidas,
mas com a tenacidade
de quem atravessa os séculos
em resposta ao chamamento
da luz de sua outra alma,
a sua outra metade.
Espera-me com a intenção
de um coração aceso,
com infinitos nos olhos
e com futuros nas mãos.
Espera-me com paixão,
com força e suavidade.
E acredita - como eu,
que o tempo é infinidade,
que a vida é cumplicidade
e que tudo, o tempo, a vida,

farão, enfim, de nós dois,
a mais completa unidade.
Espera-me assim, amor meu,
que em breve chegaremos
bem mais que ao sonho - à verdade,
àquela fusão perfeita,

à pura essência que somos:
corpo e desejo - emoção,
alma e razão - divindade...

                              
Espera-me enfim, meu amor,
                              
com o mesmo imenso ardor
                             
com que esperei por ti,
                             
por toda uma eternidade...



Helena Chiarello

9 comentários:

quicas disse...

"... com infinitos nos olhos
e com futuros nas mãos..." - bela e poética forma de cantar a eternidade do amor, o sonho feito realidade quando partilhado por dois seres que se fundem num só!
Beijo de parabéns por tanta emoção partilhada

Chica disse...

MARAVILHOSO,Helena!Adoro te ler e fico feliz quando chego aqui e na minha lista,aparecem novidades em teus blogs(andam meio escassinhas,rsrsr...é muiiiiiito amos?Tomara!!!) beijos,chica

Anderson Fabiano disse...

stella mia,

vc refez meus conceitos de "nunca" e "sempre", deixando meu existencialismo hesseano à ver navios. e quando posso me embevecer com letras tão mágicas, deitadas nesse seu revelar, compreendo, enfim, o sentido de nossos sempres.

sempres que se desenham em cada manhã, em cada soriso, em cada chamamento que não cansamos de atender.

agradeço, então, esse sempre, esse eterno, que vc incluiu em minha vida.

amo amar essa poeta de sentires tão raros.

te beijo, então, pra sempre.

barba

Anne Lieri disse...

Helena,que beleza de poesia nesse amor eterno de muitas vidas!Adorei!Bjs,

Maria Helena Sleutjes disse...

Uau!!!! Este poema de nos deixar sem fólego é uma das mais bonitas declarações de amor que já li. Quando o li na semana passada fiquei muda de emoção e felicidade por saber que é possível amar assim, desta forma tão completa. Ele é um presente precioso - de alma para alma.

Triste Flor disse...

Oiii, que saudade, ultimamente muita coisa aconteceu... o Léo se machucou, grave, mas ta bem agora... e vc? sumida saudades tantas de vc, de flar c vc, de saber d vc, espero que esteja bem... lindo o poema, Tão bom esperar por alguém e ter e certeza que ele virá. bjus Helena, amodoro rs

jღssara disse...

O tempo é infinidade, a vida é cumplicidade e o amor, capaz de ultrapassar e perdurar uma eternidade...
Um dos poemas mais lindos que já li, Helena!! Bravíssimo!!
Maravilhosos os teus versos, maravilhosa a emoção de lê-los!
Beijos!

ONG ALERTA disse...

O amor, ele no leva ao infinito da razão...paz.

Gaivotadourada22 disse...

Ah minha Amiga do Coração... Assim é o Poema iluminado, o amor poetizado, a vida pulsando emoções que a fazem verdadeiramente vida... Adoro você e tua Poesia!!! Beijos mil!